Pioneiros da Evangelização no Paraná


A primeira tentativa de trazer o Evangelho ao Paraná, pela Igreja Presbiteriana, é atribuída ao Reverendo José Manoel da Conceição, ex-padre, vindo da cidade de Castro, onde sua irmã era professora.

Pelos idos de 1878, o Sr. João Antunes de Moura, presbítero de Faxina, atual Itapeva, veio ao Paraná, como colpotor (distribuidor de Bíblias e literatura religiosa). Chegou até Guarapuava não tendo encontrado muitas pessoas interessadas em adquirir os referidos livros; não desejando voltar com a sua carga, vendeu-a a um negociante que, apreciando o papel e a encadernação dos livros, achou-os muito baratos.

Em 1883, o Rev. Antônio Pedro de Cerqueira Leite escrevia:

"Nesta minha viagem tencionava penetrar no Paraná e pregar nas cidades de Castro e Ponta Grossa, mas o tempo era impróprio, por ser inverno. Tive, porém, o prazer de receber um abaixo-assinado, firmado por nove pessoas, que de Castro me pediam que fosse lá pregar".

Em agosto do mesmo ano, depois de reunião anual do Presbitério, este dedicado ministro do Evangelho veio a falecer, não podendo atender à referida solicitação atribuída ao Sr. José Rodrigues Lagos que, tendo noções da Palavra de Deus através de sua mãe e pela leitura da Bíblia e de alguns exemplares da "Imprensa Evangélica", desejando maiores esclarecimentos religiosos, fizera convite ao Rev. George Chamberlain que, também, não pode vir.

O Rev. Alexander L. Blackford, agente da Sociedade Bíblica Americana, também visitou o Paraná, acompanhado de um colpotor, e fez uma conferência em Curitiba, onde conseguiu espalhar diversas Bíblias e Novos Testamentos, tendo encontrado alguma simpatia.

No ano de 1884, no dia 12 de junho, em companhia do Sr. João Antunes de Moura, de Faxina, o Rev. Roberto Lenington, membro do antigo Presbitério do Rio de Janeiro, chegou em Tibagi, encontrando ali o Sr. Antônio Pinheiro, que era colpotor da Sociedade Bíblica de Londres. Foram recebidos pelo casal José Rodrigues Lagos e Sebastiana B. de Macedo. Houve um bom trabalho evangelístico de visitação às casas da cidade, e pregação todas as noites até o dia 18. Os primeiros a fazer a sua pública profissão de fé foram José R. Lagos e D. Sebastiana B. de Macedo, havendo outras decisões, permitindo a organização da Igreja de Tibagi (a 7/12/1884), arrolando Delfino Ribeiro dos Santos, Carolina Rosalina dos Santos, Fortunata dos Santos, Maria Leopoldina Schneider, Manoel Benedito Pimentel e Armando M. Fernandes.

Em companhia do Sr. Lagos, o Rev. Lenington visitou a localidade de Fundão (atual distrito do Município de Piraí do Sul), a dez léguas de Castro, onde a Bíblia era conhecida através do trabalho de um colpotor. Nesta localidade foi organizada a primeira Igreja Presbiteriana, em 26/10/1884.

Quatro anos depois da organização destas Igrejas pioneiras do Paraná, os seus membros foram arrolados nas Igrejas Presbiterianas de Curitiba e de Castro, quando da sua organização.

Ainda em 1884, na companhia do Sr. José Rodrigues Lagos, seguiu para Guarapuava, onde encontrou muitas dificuldades para conseguir um lugar onde pudesse anunciar o evangelho. Um dos líderes da Maçonaria, o Tte. Francisco de Paula Pletz, conseguiu uma sala para o missionário dizendo, entretanto, que não se interessava pelas reuniões.

A Igreja Presbiteriana de Guarapuava foi organizada em 17 de fevereiro de 1889.

Em 1885, o Rev. Lenington fez a sua terceira visita a Guarapuava, onde quatorze a quinze pessoas queriam fazer a sua profissão de fé.

O Rev. Landes visitou também Palmeira, Cupim, Campo Largo, São Luiz, Ponta Grossa, Castro, Tibagi, Assungui, Guarapuava e outros lugares. Na referência anterior se acrescenta:
"O Rev. Landes continuou a trabalhar na Capital e na colônia Dona Venância por quatro meses ou mais, sem notar interesse ou oposição ao seu serviço."


ANÚNCIO PRIMEIRA PALESTRA ROBERT LENINGTON - 01/07/1884 - JORNAL DEZENOVE DE DEZEMBRO



CONFERÊNCIA RELIGIOSA - 14/10/1885 - JORNAL DEZENOVE DE DEZEMBRO



DR. BLACKFORD - CURITIBA 17/11/1877 - JORNAL DEZENOVE DE DEZEMBRO